Com uma das paisagens mais lindas do Brasil, declarada patrimônio mundial da Unesco, a segunda maior metrópole do país, concentrando quase 40% dos 17,2 milhões de habitantes do Estado, o Rio de Janeiro já foi palco da luta entre portugueses e franceses pelo comércio madeireiro, marco inaugural da história da cidade. Agora, você sabe como tudo começou e por que o Rio de Janeiro tem esse nome?

 

Explorando a costa brasileira

Enviada pelo rei D. Manuel I para explorar e mapear o litoral da então Terra de Santa Cruz, a expedição de três naus comandada por Gaspar de Lemos, tendo Américo Vespúcio a bordo, chegou na Baía de Guanabara em 1° de janeiro de 1502.

Algumas especulações dizem que os navegadores acreditavam ter chegada à desembocadura de um grande rio, daí ter surgido o nome. Outros afirmam que seria impossível que experientes marinheiros pudessem ter confundido as denominações dos lugares, e que na verdade, na época, não existia ainda distinção entre a nomenclatura de rios, baías e sacos.

Por ser um rio e ter sido encontrado em janeiro, Américo Vespúcio nomeou o lugar como Rio de Janeiro.

Existe ainda uma terceira explicação, em que muitos declaram ter sido uma mudança na grafia, isto é, teriam escrito a palavra “ria”, um acidente geoformológico que mostra um vale fluvial em volta da foz de um rio.

 

Luta pela exploração do mercado madeireiro

Em novembro de 1555, franceses invadiram a baía e se aliaram aos índios Tupinambás, habitantes da região, com a intenção de estabelecer uma colônia a França Antártica, explorar o pau-brasil e comandar o mercado madeireiro.

Lá, sob o comando de Nicolas Durand de Villegagnon, ergueram o Forte Coligny e constituíram uma colônia na ilha de Sergipe, atualmente conhecida como ilha de Villegagnon,

Diante da ameaça de perder as terras, portugueses se juntaram com os rivais dos Tupinambás, os Temiminós, também habitantes da região, e iniciaram uma batalha que se estendeu por dois anos, quando então os franceses foram expulsos da região.

 

São Sebastião do Rio de Janeiro

Em resposta a insistência francesa em invadir as terras, Estácio de Sá, sobrinho neto do governador-geral do Brasil, Mem de Sá, chega à praia de Dentro, no Morro Cara de Cão, na Urca, e funda a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, mais tarde chamada somente de Rio de Janeiro, em 1° de março de 1565, porém a batalha ainda não havia acabado.

 

A batalha de Uruçumirim

Ainda que o aniversário da cidade seja comemorado em março, existe outra data considerada como sendo início da cidade, 20 de janeiro de 1567, para historiadores ela é considerada uma data bélica.

Nesse dia, Estácio de Sá, com 300 europeus e 30 índios precisou enfrentar 800 franceses e 20 mil índios. Foi só quando Portugal enviou reforços que a tropa portuguesa pode expulsar de vez os franceses. Infelizmente, o então jovem (estima-se que ele tivesse 23 anos) Estácio de Sá, ferido em batalha, veio a falecer, sendo enterrado no Morro do Castelo.

Hoje em dia, os restos mortais do padroeiro da cidade estão na Igreja de São Sebastião dos Frades Capuchinhos.

 

Conheça mais do Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro é conhecido por suas paisagens, no entanto, a cidade é cheia de história. Sendo a segunda cidade colonizada pelos portugueses e a também a segunda capital do país, dentro dos seus museus, monumentos históricos e pontos turísticos existe muito o que contar. Programe um tempo para conhecer com detalhes cada um desses lugares.

Uma dica para ver muitos desses lugares em pouco tempo e de um ponto de vista privilegiado é fazer um passeio de helicóptero. Entre em contato com a equipe do Comandante Nobre e agende sua viagem.